Google+

domingo, 6 de agosto de 2017

Mês do Studio Ghibli no SESC RJ

Olá pessoal, tudo bem?

No mês de julho, o SESC RJ montou uma programação que exibiu alguns filmes famosos do estúdio de animação japonesa Ghibli. Em dias determinados, os frequentadores podiam assistir, em horários diversos, as animações que estavam programadas. E o melhor de tudo: DE GRAÇA! Aproveitei que há um SESC bem perto de casa e fui conferir.  Foram exibidos "Nausicäa do Vale do Vento" (1984), "Meu vizinho Totoro" (1988), "Princesa Mononoke" (1997), "O mundo dos pequeninos" (2010) e "O conto da princesa Kaguya" (2013).

Nausicäa do Vale do Vento
Em um mundo poluído pelo homem, e miserável pelas guerras, os países que sobreviveram estão isolados uns dos outros e lutam para sobreviver ao Mar da Corrupção, uma floresta de vegetação e insetos venenosos. Nausicäa é a princesa do Vale do Vento, um dos países que sobrevive em paz, quando é atacado por outro país. Nausicäa precisa defender seu povo e compreender a floresta venenosa.

Meu vizinho Totoro
Mei é uma jovem que encontra uma pequena passagem em seu quintal, que a leva à um lendário espírito da floresta conhecido como Totoro. Sua mãe está no hospital e seu pai divide o tempo entre dar aulas na faculdade e cuidar de sua mulher doente. Quando Mei tenta visitar a mãe por conta própria, se perde na floresta e só o grande e fofo Totoro ajuda a menina a achar o caminho de volta para casa.

Princesa Mononoke
Um príncipe infectado por uma doença sabe que irá morrer a menos que encontre a cura. Sendo a sua última esperança, segue para o leste e, durante o caminho, encontra animais na floresta lutando contra sua exploração, liderados pela princesa Mononoke.

O mundo dos pequeninos
Nos subúrbios de Tóquio, sob o assoalho de uma casa velha, Arrietty vive no seu minúsculo mundo com a família, fazendo de tudo para manter em segredo a existência de todos. Sobrevivendo como pequenos ladrões, eles conhecem as regras para que nunca sejam percebidos pelos verdadeiros - e grandes - donos da casa. Para isso, procuram manter a desconfiança deles em cima dos gatos e ratos e tomam todos os cuidados possíveis para evitar serem vistos. Contudo, quando um jovem rapaz se hospeda na casa, pequenina Arrietty acredita que poderá manter uma amizade com ele, apesar da diferença dos tamanhos.

O conto da princesa Kaguya
Esta animação é baseada no conto popular japonês "O corte do bambu". Kaguya era um minúsculo bebê quando foi encontrada dentro dentro de um tronco de bambu brilhante. Passado o tempo, ela se transforma em uma bela jovem que passa ser cobiçada por 5 nobres, dentre eles, o próprio imperador. Mas nenhum deles é o que ela realmente quer. A moça envia seus pretendentes em tarefas aparentemente impossíveis para tentar evitar o casamento com um estranho que não ama. Mas Kaguya terá que enfrentar seu destino e punição por suas escolhas.



São animações ótimas e passam uma mensagem para o telespectador. Destaco nesta questão Nausicäa do Vale do Vento e Princesa Mononoke que abordam problemas ambientais ocasionados pela ganância do homem. Recomendo fortemente que vejam. 

Até a próxima! 

PS: Fontes de consulta: Studio Ghibli e Adoro Cinema

domingo, 30 de julho de 2017

Fim de um período e início do outro

Oi pessoal, tudo bem?

Meu novo período na faculdade se iniciou em 22 de julho e já está frenético, com muitas coisas para ler e resolver. Somado a outras coisas que irão acontecer neste 2º semestre de 2017, eu terei que ter muita paciência e força de vontade para enfrentá-lo corretamente. Mas... Vamos ao que interessa.

Semestre passado cursei o 1º período de Pedagogia. Foi um período de adaptação ao sistema semipresencial do CEDERJ e até que sai muito bem. Entendi como funciona as ADs (avaliações a distância) e me habituei a me deslocar até o campus de Nova Iguaçu da UFRRJ para realizar as provas presenciais (e desfrutar dos piqueniques da turma, já que tinha dias que tinha prova de manhã e de tarde e na região não tinha um local para almoçar). Cursei 6 disciplinas e fui aprovada em todas elas sem necessidade de fazer a AP 3 (e que é uma dor de cabeça para os alunos). As disciplinas foram:

Informática Instrumental
Esta disciplina serve para lhe dar noções básicas sobre informática, ensinar como mexer na plataforma e utilizar o pacote de programas do LibreOffice (versão genérica do MS Office. Eu particularmente gosto do LibreOffice). É a única que tem presença obrigatória em 5 encontros durante o período, mas você pode ficar isento desses encontros ao fazer o teste de proficiência agendado no 1º encontro (este obrigatório para todos e não tem como pedir isenção). As provas e atividades a distância não são eliminadas, o aluno é obrigado a fazê-las.

Língua Portuguesa Instrumental
Ler e escrever textos de diferentes gêneros, especialmente e gêneros acadêmicos. Planejar tarefas de produção de texto, considerando o contexto situacional e selecionando as variedades linguísticas adequadas. Empregar adequadamente os recursos léxico-gramaticais da língua portuguesa nas atividades de leitura e produção de textos.

Alfabetização 1
Processo de leitura: ler ou decodificar? O sentido da alfabetização. Diferentes concepções de alfabetização: do mecanicismo às práticas contemporâneas. Alfabetização como processo e responsabilidade de todos.

Psicologia da Educação
Análise crítica da inserção da Psicologia no campo educacional. Discussão das diversas concepções de homem subjacentes às abordagens do desenvolvimento humano - inatista, ambientalista e sócio-histórica. Desenvolvimento humano, as principais teorias e os aspectos biológicos, cognitivos e psicossociais das v árias etapas do ciclo vital. Aprendizagem, conceito e abordagens teóricas: condicionamento clássico e instrumental; facilitação da aprendizagem; teoria da aprendizagem significativa; teorias atuais do processamento de informação. Aprendizagem em ambientes presenciais e virtuais. Aplicações na prática docente.

Educação Especial Inclusiva
Evolução da Educação Especial através da história. Aspectos legais, políticos e conceitos na Educação Especial. Prevenção e estimulação. A importância da relação família-escola. Necessidades educacionais especiais, implicações nos processos de ensino-aprendizagem nas diversas etapas do ciclo de desenvolvimento humano. Adaptações curriculares, ajudas técnicas e o processo de inclusão de educandos com necessidades especiais. Tendências contemporâneas acerca da inclusão da pessoa com deficiência no mundo do trabalho.

Sociologia da Educação 
Sociologia geral e Sociologia da Educação. Fundamentos teórico-metodológicos da Sociologia clássica e contemporânea. Educação como Processo Social. Instituições socializadoras: reprodução e mudança social. Desigualdades sociais. Cultura e diversidade social e currículo. Funções da escola e papéis do educador na sociedade contemporânea. Sistema de ensino e política educacional.

Destas disciplinas citadas acima, destaco minha preferência por Alfabetização 1 e Educação Especial Inclusiva. Estudá-las foi prazeroso e isso contribuiu e muito na aprendizagem. Período passado eu não pude escolher as disciplinas, fui obrigada a cursar as 6 que previamente fui inscrita no dia da matrícula. Agora no 2º período fui ousada: me inscrevi em 10 disciplinas! Loucura né? Mas tenho planos que necessitam de uma agilizada na conclusão da graduação. As escolhidas do período foram:

Matemática na Educação 1
Apostilas do período
Língua Portuguesa na Educação 1
História na Educação 1
Alfabetização 2
Filosofia da Educação
1º Seminário de Práticas Educativas
Educação Infantil 1
Políticas Públicas em Educação (3º período)
2º Seminário de Práticas Educativas (3º período)
Educação de Jovens e Adultos (4º período)

Podem notar que na lista há 3 disciplinas de períodos avançados (eu estou no 2º período). A ideia era puxar as optativas no lugar delas, mas o sistema acadêmico só deu permissão a quem estava com matrículas 2016.2 e anteriores, o que não é o meu caso. A questão que não quer calar: eu conseguirei dar conta? Sinceramente, eu espero que sim. Então vamos nessa.

Força, foco e fé! (e café!)   

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Resenha: A Culpa é das Estrelas


Oi! Voltei ao blog com mais um post. Hoje é sobre o primeiro (e único livro) que terminei de ler em 2017 (eu comecei a leitura em 2016): A Culpa é das Estrelas.
 
SINOPSE:
Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos -, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A Culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.



Autor:
John Green
Editora: Intrinseca
Páginas: 288
Capítulos: --
Série: Não
Temas: amor, amizade, superação, câncer, juventude.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Filme: Rogue One - Uma história Star Wars


Oi gente! 


Então, mesmo no meu sumiço eu continuei a ver filmes. Infelizmente minha cabeça não tá muito boa para eu fazer resenha de todos. Por isso, vou fazer do filme mais recente que vi: Star Wars: Rogue One. Espero que gostem.

SINOPSE
Ainda criança, Jyn Erso foi afastada foi afastada de seu pai, Galen, devido a exigência do diretor Krennic que ele trabalhasse na construção da arma mais poderosa do Império: a Estrela da Morte. Criada por Saw Guerrera, ela teve que aprender a sobreviver por conta própria ao completar 16 anos. Já adulta, Jyn é resgatada pela Aliança Rebelde, que deseja ter acesso a uma mensagem enviada por seu pai a Guerrera. Com a promessa de liberdade ao término da missão, ela aceita trabalhar ao lado do Capitão Andor e do robô K-2SO.



Titulo: Rogue One - Star Wars Story/Rogue One - Uma história Star Wars.
País de origem: EUA.
Gênero: Ficção científica.
Duração: 133 min.
Ano: 2016.





quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Uma breve retrospectiva de 2016

Bom dia pessoal, tudo bem? Como prometi, cá estou eu escrevendo nesse amado blog (que ficou um bom tempo abandonado). Primeiro, peço desculpas se o texto estiver uma porcaria, mas meu notebook tá ruim e eu estou usando outros meios para escrever aqui, ok?

Bom, eu vou aproveitar essa postagem para falar um pouco do que aconteceu comigo durante o ano de 2016 e que me levou ao sumiço daqui. Em 2015, precisamente em maio, concluí o mestrado em Engenharia de Transportes. Nesse mesmo ano, eu também fui aprovada para cursar o doutorado em Engenharia de Defesa com direito a bolsa de estudos, porém eu precisaria concluir o mestrado no prazo que a instituição me deu. Eu cumpri minha parte, a instituição não. Ainda briguei pelo meu direito até o primeiro trimestre de 2016, mas larguei tudo por falta de $$ e de paciência para levar isso adiante. Já havia enterrado meus sonhos com o gasto total das minha economias. 

Durante o ano de 2016, minha vida financeira e psicológica ficou (e está) em altos e baixos constantes. Apesar de estar cuidando mais da minha saúde (entrei num grupo de emagrecimento e já eliminei quase 20 kgs em um 1 ano e meio, mais ou menos), eu me anulei em outros aspectos. Deixei de lado meus hobbies, minhas leituras e fui afundando em tristeza. Não conseguia (e ainda é difícil conseguir) achar graça em muitas coisas que curtia há pouco tempo atrás.

Sem emprego fixo, e com a crise financeira ai na nossa cara, eu estou dependente completamente dos meus pais, o que tem me deixado muito pra baixo. Sim, estou procurando emprego, aceitando freelance e prestando concurso público, seja na minha área ou não (principalmente se for região serrana). De todos os que fiz, fiquei melhor classificada no concurso da Prefeitura de Guapimirim, com o 6º lugar. Porém, como sempre acontece nos concursos voltados para arquitetura: o número de vagas é ínfimo e o salário é baixo. Raras são a prefeituras que pagam mais de R$ 3000. Paraty foi a única que vi que colocou um bom salário. Resultado: a procura foi enorme, óbvio! E essa realidade tem me desmotivado e muito a seguir na arquitetura. 

Como um plano B para minha vida, eu resolvi prestar vestibular novamente, mas dessa vez nada de faculdade presencial. Aderi ao modo semipresencial (não é completamente EAD porque há atividades presenciais, além das provas). Sem muita pretensão, fiz o vestibular para o consórcio CEDERJ, para o curso de Pedagogia oferecido pela UERJ (sim, é um consórcio de faculdades públicas aqui do Rio de Janeiro, com vários cursos - sendo a  maioria licenciatura - e pólos espalhados pelo estado). Resultado: aprovada dentro do número das vagas oferecidas para ampla concorrência. Fiquei tão feliz! Nem acreditei que consegui uma singela vitória nesse ano horroroso! Já estou matriculada e com as apostilas do período em mãos. Espero me adaptar ao modelo, pois é minha primeira vez com EAD. Agradeço a minha sogra, dona Letícia, e ao meu amor, Bruno. Eles me incentivaram nessa busca pelo plano B.

Se eu irei abandonar arquitetura para sempre? Só o futuro poderá dizer, mas por ora não. Preciso fazer caixa né? Preciso de ter $$ para construir meus sonhos. Enquanto isso, eu vou batalhando para buscar meu lugar ao sol (mas não esse sol infernal do RJ, porque ninguém merece!). Vou seguindo em frente, tentando manter a fé que 2017 será um ano de vitórias. Tudo há de melhorar, nem que eu tenha que pular milhões de ondas na praia para isso 😋.

Bom, pessoal fico por aqui. Aos poucos vou postando coisas novas, resenhas de livros e filmes, textos soltos, coisa pessoal. Quem sabe mudo o visual desse cantinho (confesso que eu já cansei desse layout), volto a escrever meus contos. Volto a ser a pessoa feliz que era bem antes. 

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Retornando...

*varrendo a poeira*

Retornando ao cantinho e espero não ter que me afastar dele. Ao longo desse tempo ausente, eu acabei deixando de lado muitas coisas que eu gostava muito de fazer e tal renúncia trouxe mais problemas do que coisas boas para mim. Eu estou retornando com o blog e outros projetos com o intuito de me ajudar a superar certas coisas que aconteceram na minha vida. 

Em breve eu publicarei uma resenha de um livro que li faz bastante tempo e não tinha disposição para fazê-la. E foi o único livro que li esse ano! *envergonhada* Mas para me perdoar por isso, eu criei uma lista coisas para ler e assistir ao longo dos dias (lógico que não posso esquecer das obrigações profissionais e pessoas que tenho que cumprir) e assim tornar minha rotina mais alegre e leve. Já comecei com a leitura do livro A culpa é das estrelas. Eu confesso que na época que esse livro fez sucesso eu nem me interessei. Vi o filme recentemente e ele me aguçou a leitura. Espero gostar muito. 😃

Beijos meus amores! Em breve volto com novidades!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Anime: Saint Seiya: Soul of Gold

SINOPSE:
Depois de sacrificarem suas vidas tentando destruir o Muro das Lamentações para ajudar Seiya e seus amigos, todos os doze Cavaleiros de Ouro são revividos, com um novo inimigo esperando por eles em Asgard, onde terão que lutar vestindo suas novas armaduras de ouro.


Título: Saint Seiya: Soul of Gold
País de origem: Japão
Duração: 13 episódios
Ano: 2015